Quinta-feira, 26 de Fevereiro de 2009
O “Manuela”... em 1966 - online.

Na campanha de pesca ao bacalhau de 1966, um realizador Canadiano, Hector Lemieux, embarcou em Belém a bordo do lugre-motor “Santa Maria Manuela” para registar todo aquele já mítico processo de pesca “ao anzol” que só os Portugueses praticavam, ainda em navios à vela e com dóris.

Do muito que filmou e fotografou, apenas editou 15 minutos para exibição.
Recentemente descobri que um mais que certo emigrante Luso, resolveu colocar “online” o referido filme. Não podia pois deixar de o “apregoar” aqui, pois felizmente possuo este filme em DVD e não me canso de o ver repetidamente. São 15 minutos que dão uma excelente imagem de pescadores e marinheiros Portugueses ainda “do tempo da vela”, a cores e bom som, e num curto espaço de tempo permite ter uma ideia do que significava ir em busca do tão apreciado bacalhau, em toda aquela dureza, sombra de tragédia, mas também orgulho para muitos por terem feito parte daquela Epopeia que ainda hoje relembram.
Nas fotos dos 2 homens em grande plano, ao lado do Capt. Vitorino Ramalheira (de binóculos), está o meu tio José Fernandes (Leles). Feliz coincidência ter sido “apanhado” no filme.
Para os mais despistados... o “Santa Maria Manuela” em breve estará a navegar de novo em todo o seu esplendor à vela, depois dum declínio e abandono quase fatal. Tal deve-se a muitos homens que nunca esqueceram o navio, entre eles os que o decidiram recuperar. Todos os detalhes no seu blogue oficial, SANTA MARIA MANUELA.
 
Eis os links do filme:
 
Patricioclan.org
O Navio Branco - 1966


publicado por cachinare às 08:37
link do post | comentar | favorito

6 comentários:
De jaimepontes a 26 de Fevereiro de 2009 às 14:54
Más que surpresa amigo António só é pena do filme ser tão curto ,mesmo assim está bém retratado ! é pouco mas é de voa vontade . Que maravilha desde a saída de Lisboa , passando pela viagém para Oeste ,içando vélas , sorteando os botes ,destribuindo os aptrexos de pesca e tudo o mais ,até a chegada ao pesqueiro ,com o arrear dos botes e vamos com deus para a pesca ! é um regalo para os olhos ver um pouco daquilo porque passamos desde os nossos mais vélhos que saudosista eu sou émbora costuma dizer que sofri muito ém alguns momentos más também digo e é verdade que também passei bons momentos ,em espeçial quando embarquei no Inaçio Cunha com o Capitão Ernesto ,com esse Sre .andava uma vida ao bacalhau ! O Sre Capitão Vitorino Ramalheira ,eu me lembro da primeira viagém que dei ao bacalhau no Aviz ,carregamos na Groenlandia e a 25 de Agosto mais ao menos já vinha-mos para Portugal ,más a saida da Groenlandia o navio fás um desvio derivado a um ciclone que vinha de rumo a nós ,então fomos de rumo a sodueste rumo a Santo Jones porque segundo os mais velhos diziam estávam ciclones anunciados uns atras de outros ,conforme os homens de leme vinham para baixo para o rancho e com enformações más sobre o ciclone os mais vélhos nos belixes começavam a chorar ,mas os mais novos como eu e outros perguntava-mos ,então não vamos a fugir ,será que não dá tempo a gente fugir ? e a resposta dos mais vélhos éra forte ,vós não sabeis onde estais metidos ! O que veio acontecer durante a noite ,com o mar a ter 8 e 10 metros de vaga com o vento a rugir cada vês mais ao ponto do traquete despegar ficar ém farrapos e com órdens do Capitão para arriar todas as vélas e fazer capa ao temporal ! Entretanto para o dia estáva melhor e eu ouvi alguém dizer que só apanhamos o rabo do ciclone ,mas como vinha mais ,fugimos com rumo a Santo Jones ,o que nos valeu foi que os ciclones passavam todos naquela linha o que nós pudemos desviar e bém chegamos a Santo Jones e aguentamos um mês ém térra e os navios que já lá estávam quase não pescaram por causa dos ciclones e assim quando depois de um mês ém térra o Sre Comandante do GIL EANES lá deu ordéns para sair-mos acompanhados com o Brites e o Oliveirense pra Portugal ,foi uma boa fugida sempre com receio e com fortes ventos mas com Deus depois das ilhas para térra foi uma maravilha chegamos em finais de Setembro o que poderia ser uma viagém de chegada a SRA. DAS DORES não, foi muito atribulada más no fim graças a DEUS .Um abraço e comprimentos saúdações maritimas Jaime Pião


De jc a 26 de Fevereiro de 2009 às 22:06
O ARGUS também já é novamente Português!A Pascoal comprou-o!


De RUI amaro a 27 de Fevereiro de 2009 às 15:03
Caros Antonio Fangueiro e Jaime Pontes

Pois é verdade, no meu trabalho, postado no meu Blogue Navios à Vista, “Temos Navio, Temos o Santa Maria Manuela, é da Pascoal”, agora com a compra do Polynesia , lá nas Arubas pela Pascoal & Fos, já podemos dizer “Temos Navios, Temos o Santa Maria Manuela e o Argus, são da Pascoal”. Prolongando de braço dado o NRP Creoula aos seus dois gémeos, o que seria interessante um dia se realizar, temos o trio completo dos três Cisnes Brancos ou Lugres do Gelo.
Pode ser que um dia se aviste os três lugres de velas enfunadas e fundearem aí diante das Caxinas, como homenagem ao esforço dos pescadores do dóri e mesmo dos do arrasto dessa martirizada terra das artes pesqueiras, que sofreram na pele a dura Faina Maior, e mesmo do receio dos submarinos, que o amigo Jaime melhor do que nós sabe relatar. Olhem que é uma questão de lembrarem os v/ autarcas. Eu por mim já dei o toque à Pascoal & filhos para levarem o SMM a Viana do Castelo e ao Douro/Leixões, e eles não se puseram de fora!
Estamos de parabéns todos nós, entusiastas destas coisas de navios, nomeadamente dos bacalhoeiros, Portugal e sobretudo a Pascoal & Filhos, que de certeza irá ter grande sucesso no seu empreendimento. Lamentável é o Governo de Portugal não ter contribuído para o esforço financeiro, que aquela empresa de sucesso está a levar a cabo, nem tão pouco se ter pronunciado com uma palavra de incentivo.
Abraço
Saudações marítimo-entusiásticas
Rui Amaro (Blogue navios à Vista)


De jaimepontes a 27 de Fevereiro de 2009 às 19:32
Parebéns Meus Amigos Rui Amaro e António Fangueiro ,eu reconheço que voçês com muitos outros foram incansaveis no constante alérta que fizeram ,por isso da minha parte muito obrigado e bém hajam a todos ,ém espeçial os Sres de Pascoais ,que não há palavras para descrever a alegria que vai aqui nas Caxinas ,pelo menos com quem converçei ,os homens do bacalhau os que passaram tormentas ,os que se habituaram a vêr no dia a dia o Sre dos Mares o Sre dos bacalhaus o Prinçepe dos Veleiros ?, mas falando de ajudas do Estádo, bém os nossos velhos históricos bacalhoeiros já estávam desmantelados ,porque está mais que visto ,que para os Sres Politicos os pescadores ,os lugres e os navios que tanto deram aos Portugueses não tém valor algum ,eu sei daquilo que falo ,portanto de politicos nunca se espéra nada ,a engorda é só para eles ,dos fracos não reza a história .As maiores Venturas para a firma dos Pascoais .e saúdações maritimas do amigo Jaime pião um abração ....


De Anónimo a 2 de Março de 2009 às 16:34
O NAVIO BRANCO - 1966
Com surpresa, hoje ao visionar este filme, acabo de reconhecer naquele jovem de camisa azul, que quase no fim do filme se vê a meditar, com os olhos fixos na sepultura, um indivíduo, meu conhecido de infância. Pertencia àquela família dos "Pitas", que
morava ali para as bandas do antigo Campo do Rio Ave, e cujo nome não me ocorre, nem tão pouco sei do seu paradeiro.
Parabéns ao bloguista Caxineiro

Albino Gomes
Vila do Conde


De jaimepontes a 4 de Março de 2009 às 13:46
Boa tarde amigo Abino ,sim também eu reparei nesta foto e cheguei a conclusão que o homém do final do funeral me éra conheçido e com todas as caracteristicas de ser dos «Pitas»,ao visionar o pequeno filme chocou-me bastante aquando do funeral ,eu que passei tantas vezes esse campo sagrado nunca me aperçebi de Portugueses ali sepultados e se calhar hoje sinto um pouco ! Pois este pequeno filme disse-me muito e de que maneira ,o amigo António ném imagina a alegria que eu sinto ,que quando meus netos e filhos me visitão só lhes mostro este pequeno filme para eles terem uma ideia do que éra um pouco da pésca do bacalhau ! Mais uma vês queria chamar a atenção de como seria importante aqui nas Caxinas fazer-se algo no sentido de incutir nos jóvéns a ideia de como Caxinas foi emportante nos tmpos dos bacalhoeiros ,pois foi sem dúvida nenhuma o lugar que mais pescadores deu a pesca do bacalhau ? com os melhores comprimentos a todos e saúdações maritimas de Jaime Pontes ...


Comentar post

mais sobre mim
subscrever feeds
últ. comentários
Na verdade, tão belo quanto elucidativo este quadr...
Mas que beleza de foto ou pintura que retrata bem ...
Aproveitando a ocasião, sugiro a todos, pescadores...
Na verdade, tal como diz o Jaime Pontes, esta pose...
Claro que como demonstração tá tal e qual mas ,não...
Tal como se fosse um «filho pródigo», 7 meses depo...
é com orgulho e admiração que leio e recordo este ...
Esta bela foto retrata bem o que eram os tempos an...
Mais de um ano depois, volto aqui (ao blog), e li ...
é de facto interessante, mas .... o que caracteriz...

culturmar

tags

a nova fanequeira de vila chã

ala-arriba

alan villiers

apresentação

aquele portugal

argus

arte marítima

bacalhoeiros canadianos-americanos

bacalhoeiros estrangeiros

bacalhoeiros portugueses

barcos tradicionais

caxinas

cultura costeira

diversos

fotos soltas

galiza

jornal mare - matosinhos

memórias

modelismo naval

multimédia

museus do mar

pesca portuguesa

póvoa de varzim

relatos da lancha poveira "fé em deus"

santa maria manuela

veleiros

vila do conde

todas as tags

Vídeos
links
arquivos