Quinta-feira, 26 de Março de 2009
Bacalhoeiros de Portugal por uma objectiva alemã.

 

«O amplo e moderno navio-hospital de auxílio “Gil Eannes”, foi comissionado pelo Governo para apoio da Frota durante a estação de pesca na Terra Nova e Gronelândia. Está equipado com todo o equipamento de navegação, médico e técnico necessário, tendo a bordo dois médicos, vários enfermeiros, sala de operações e outras condições em prol dos homens-dos-dóris».
 
fonte: Geographische Rundschau 7, 1962 – Wirtschaftsgeographie


publicado por cachinare às 10:54
link do post | comentar | favorito

4 comentários:
De Ralf a 26 de Março de 2009 às 21:40
Hehehe....

sobre o espião Gastão Crawford de Freitas Ferraz não falam!
Vamos falar (escrever) nós.
Brevemente
abraço
Ralf


De Anónimo a 3 de Abril de 2009 às 17:31
Sintéticamente falando, ...o nauseabundo espião Freitas Ferraz, não fazia parte deste GIL EANES,
construído nos anos cinquenta, mas sim do velho
navio a vapor, adaptado nos anos quarenta.
No entanto, nunca é tarde para "se pôr o nome aos
bois"...

Agora, quanto ao tal «amplo, e moderno navio-hospital
Gil Eanes,...equipado com todo o equipamento de navegação, médico e técnico necessário, tendo a bordo dois médicos, vários enfermeuiros, sala de operações e outras condições em prol dos homens-dos-doris», etc. e tal, digo eu, era tudo muito bonito, mas não funcionava. Ou por outra, funcionava, mas
funcionava mal, já que se passavam semanas inteiras,
sem que os médicos se abeirassem dos doentes.
Os médicos, apareciam sim, mas só aos Domingos,
pouco antes da hora da Missa, para melhor se informarem do estado dos doentes, para saberem responder com segurança ao Comandante Tavares de Almeida, do estado de cada doente. Tudo "para inglês ver... De resto, se calhar o tempo era escasso para estarem a jogar a batota uns com os outros.
Depois, "quem se lixava era o mexilhão"...
Certo que havia excepções.
Para quem ler certas "historinhas", aquilo até parecia "um mar de rosas".
Por aquilo que ainda hoje vamos sabendo que se passa em alguns hospitais em Terra, imagine-se o que seria há cerca de meio século,... no Mar

Albino Gomes.




De jaimepontes a 5 de Abril de 2009 às 21:11
Boa tarde meus amigos ,falar do Gil Eanes . Ém 1968 ,ém junho na groenlandia foi acompanhado do enfermeiro ao médico a bordo do Gil Eanes por causa de duas hernias anguinais ,e os médicos já não me queriam deixar ir para bordo do navio Novos Mares ,eu falei com os médicos e pedi para que me deixassem concluir a safra e os médicos lá falaram ao enfermeiro para ter os cuidados com migo e assim lá trabalhei até o dia 6 de agosto altura ém que regressei ao Gil Eanes ,aconselhado pelo enfermeiro e então a julgar que me operavam nesses dias seguintes más enganei-me ,viram-me algumas vezes e preparara-me duas vezes mas nada fizeram ,acabei por regreçar ao navio ém Santo jones para fazer viagém para Portugal .O nosso enfermeiro escreveu uma carta para entregar aos médicos cá na casa dos pescadores e enformou-me que eu iria ser óperado ém Lisboa e que tinha direitos monetários ,só que nada disso aconteçeu ! Foi no Hospital de Vila do Conde que foi óperado ,ainda com pedidos e por baixo da mão e azar dos azares correu tão mal as operações as duas hernias que levei 4 meses de tratamento ,entretanto não trabalhei desde a minha chegada e foi na viagém seguinte para o bacalhau com as hernias a verter puz e ainda foi o enfermeiro que ém plena Groenlandia me tirou os pontos que durante 5 mezes estávam enflamados e não me deixava cicratizar os locais dos pontos ,foi um martirio durante esses 5 meses sempre a abrir com muito porcaria e sarava ém falsso e o enfermeiro depois de me tirar os pontos com sacrifiçio disse-me agora acabou o teu martirio e leva os pontos embora para mostrares ao doutor José Maria Sousa Pereira que estes pontos só servem para cavalos ou outros animais porque não é com este fio tão grosso que se dá por dentro duma hernia e ném que fosses vivo mil anos a tua carne dissolvia esse fio de parlon, portanto foram autenticos labregos quem te operou! Assim aconteçeu com migo ao tudo 6 meses sem trabalhar ,paguei a estadia do hospital nessa altura oitocentos escudos e não reçebi nem um tostão do gremio ,isto é ,um mês no Gil Eanes e cinco meses sem poder trabalhar ,mas não posso culpar os médicos do Gil Eanes ,porque na altura de voltar ao navio entregaram-me uma carta para quando chegasse a Portugal entregar na casa dos pescadores ao médico e isso aconteçeu só que foi uma grande fraude ,alguém reçebeu por mim e como digo ainda paguei para ser operado ,assim aconteçeu com migo esta história ...Um abraço aos amigos António e Albino Gomes ...J pião


De Anónimo a 11 de Abril de 2009 às 11:48
Se hovesse mais PIÕES, talvez isto girasse melhor...

Aqui ficam votos de uma PÁSCOA COM ALEGRIA,
......................................E CAXINAS A FRÉGUESIA!...

Al bino Gomes
Vila do Conde



Comentar post

mais sobre mim
subscrever feeds
últ. comentários
Esta bela foto retrata bem o que eram os tempos an...
Mais de um ano depois, volto aqui (ao blog), e li ...
é de facto interessante, mas .... o que caracteriz...
Conforme já referi algures, no próximo Sábado, 23 ...
Na verdade, típico é os nossos vizinhos da Póvoa ...
Belo quadro pintado ,dois botes um a vela e outro ...
Outros tempos ,diria mesmo meus tempos de rapaz ,o...
Pois ,nesse estado bem bebido até a sua sombra ele...
Ver está foto, salta-me muitas saudades de ouvir m...
Pescador da Nazaré ,homem do antigamente ,com traj...

culturmar

tags

a nova fanequeira de vila chã

ala-arriba

alan villiers

apresentação

aquele portugal

argus

arte marítima

bacalhoeiros canadianos-americanos

bacalhoeiros estrangeiros

bacalhoeiros portugueses

barcos tradicionais

caxinas

cultura costeira

diversos

fotos soltas

galiza

jornal mare - matosinhos

memórias

modelismo naval

multimédia

museus do mar

pesca portuguesa

póvoa de varzim

relatos da lancha poveira "fé em deus"

santa maria manuela

veleiros

vila do conde

todas as tags

Vídeos
links
arquivos