Quarta-feira, 8 de Agosto de 2007
Depende de quê um Brasão?
Bem sabemos que a política, pelo menos em Portugal, (pois é a que sentimos na pele) serve como afirmação pessoal de muita gente. É um estatuto social que por razões que me fogem à compreensão, fazem com que estes mesmos dirigentes olhem para a população de cima para baixo. Sendo que o actual presidente de Vila do Conde está à frente dos destinos desta cidade já há tantos anos, pergunto-me como vê ele a população das freguesias e do “lugar” mais populoso do país que são as Caxinas (ponho a minha mão no fogo).
Dá-me a sensação que para se estar no poder durante tantos anos, tal só pode ser possível quando se “alimenta” a população “aos poucos” e se usa as tantas necessidades para ir jogando com o poder. Dá-se-lhes umas obras feitas e promessas pré-eleições e o ciclo completa-se, mandato após mandato. Ora se como em tudo, as Caxinas sempre tiveram razões de queixa sobre promessas que caíram em saco roto, o mesmo se passa com as respectivas freguesias de Vila do Conde; é normal. Mas o que me custa muito, mesmo MUITO a perceber, é que comparando o “lugar” com todas as freguesias, - óbviamente sem desprimor para estas - , Caxinas/Poça da Barca têm uma população a rondar os 15.000 habitantes, a densidade populacional por km2 é das mais elevadas do país, tem practicamente tudo o que uma cidade tem, só não tem o que todas as outras freguesias têm: uma divisão administrativa e respectivo Brasão. Alguém me ajuda a perceber? Poderia o Sr. presidente ajudar-me a perceber? Embora não seja altura de eleições, convido-o a vir a Cracóvia e a garrafa de wódka ofereço eu.
Pergunto-me se será porque a areia das praias de Vila do Conde está a “evaporar” e as Caxinas passaram a ponto turístico por excelência da cidade. Ora se se der um estatuto ao “lugar”... vai este fazer sombra à cidade e tal não interessa à “socia-lite” vilacondense?
Outro exemplo: “A procissão do Nosso Senhor dos Navegantes, nas Caxinas, no Domingo, 5 de Agosto, concentrou mais de 50 mil pessoas”. Por favor elucidem-me, reavivem-me a memória, pois estou fora das Caxinas há 5 anos, qual o evento em Vila do Conde que traz 50.000 pessoas...? O S. João talvez... e sua decrépita organização.
Há muito a perguntar a quem dirige e sem dúvida que os vários blogues sobre as Caxinas são exímios a dissecar o dia-a-dia da nossa terra. O meu não aponta exactamente para esse dia-a-dia. Pretende sim expressar os 27 anos que passei lá e a certeza que tenho de que somos muito, mas mesmo muito importantes para o cadeirão de Vila do Conde. Era um monte de dunas quase desertas há 50 ou 100 anos? Pois a força do pescador, com ou sem sangue nórdico fez das dunas o que são hoje, marcou a história de Portugal com centenas de homens nos mares da Terranova, Gronelândia, Islândia,... corre-me nas veias  pelo meu pai, e meu avô esse fervor por ter lá andado, mas nasci no tempo em que tudo isso acabou. Era vida de cão e não sei o que digo? Perguntem a muito pescador por aí fora se pode viver sem o mar, sem as mãos calejadas e cortadas a safar redes, sem as histórias que tem para contar e que o mar lhe deu. Há coisas maiores na vida para além do que os olhos veem e algumas delas estão lá naqueles mares para além do horizonte que vemos da nossa praia.
Para rematar, cá fica a interrogação sobre o Brasão que não temos apresentando algumas Cidades cuja população até é inferior à do “lugar” Caxineiro (nem me preocupei em procurar as Vilas ou Freguesias):
 
  -- ESMORIZ (Ovar)
cidade desde 1993
11.000 hab.
  -- FÁTIMA (Ourém)
cidade desde 1997
10.000 hab.
  -- FIÃES (Stª Maria da Feira)
cidade desde 2001
9.000 hab.
  -- FREAMUNDE (P. de Ferreira)
cidade desde 2001
7.500 hab.
  -- GAFANHA da NAZARÉ (Ílhavo)
cidade desde 2001
14.000 hab.
  -- GANDRA (Paredes)
cidade desde 2003
6.000 hab.
  -- LIXA (Felgueiras)
cidade desde 1995
5.500 hab.
  -- LOUROSA (Stª Maria da Feira)
cidade desde 2001
10.000 hab.
  -- REBORDOSA (Paredes)
cidade desde 2003
11.000 hab.
  -- S. S. de LORDELO (Paredes)
cidade desde 2003
10.000 hab.
  -- V. N. de Stº ANDRÉ (S. do Cacém)
cidade desde 2003
11.000 hab.
  
Todos gostamos de símbolos, seja a bandeira nacional, o nosso clube de futebol, a religião que professamos.
Eu espero ter um para a terra das Caxinas, não para receber mais dinheiro do Estado nem para entrar em guerrinhas com Vila do Conde, mas sim para que o universo do Caxineiro seja reconhecido.
 

Vila do Conde não o pode impedir por muito mais tempo.


tags:

publicado por cachinare às 11:50
link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De jaime pontes a 25 de Abril de 2009 às 12:04
Um Brazão para Caxinas apoiado ?até serto ponto fui um lugar discreto ,mas a partir destes trinta anos Caxinas cresceu e muito e por tudo muito obrigado ao nosso Autarca ,mas estou farto de constantemente ser apodado de bairro ou lugar ,por isso mesmo sou apologista e corraboro com este blog DE LUGAR A FREGUESIA ,o que será preçiso para que tál venha aconteçer ? ou seremos toda vida bairro ou lugar ? e olhados como enteados ? eu tenho fé que mais tarde ou mais cedo as coisas se clarifiquém e então festejaremos como um tál 25 de abril de não sei quantos ! Jaime Pião


Comentar post

mais sobre mim
subscrever feeds
últ. comentários
Esta bela foto retrata bem o que eram os tempos an...
Mais de um ano depois, volto aqui (ao blog), e li ...
é de facto interessante, mas .... o que caracteriz...
Conforme já referi algures, no próximo Sábado, 23 ...
Na verdade, típico é os nossos vizinhos da Póvoa ...
Belo quadro pintado ,dois botes um a vela e outro ...
Outros tempos ,diria mesmo meus tempos de rapaz ,o...
Pois ,nesse estado bem bebido até a sua sombra ele...
Ver está foto, salta-me muitas saudades de ouvir m...
Pescador da Nazaré ,homem do antigamente ,com traj...

culturmar

tags

a nova fanequeira de vila chã

ala-arriba

alan villiers

apresentação

aquele portugal

argus

arte marítima

bacalhoeiros canadianos-americanos

bacalhoeiros estrangeiros

bacalhoeiros portugueses

barcos tradicionais

caxinas

cultura costeira

diversos

fotos soltas

galiza

jornal mare - matosinhos

memórias

modelismo naval

multimédia

museus do mar

pesca portuguesa

póvoa de varzim

relatos da lancha poveira "fé em deus"

santa maria manuela

veleiros

vila do conde

todas as tags

Vídeos
links
arquivos