Segunda-feira, 24 de Maio de 2010
A preto e branco.

 
Mais um exemplo da ligeireza de navegabilidade destes barcos. Aqui, a catraia “Novo Triunfo” mostra-nos parte do seu velame e nota-se que leva um ramo à proa, será de loureiro? Também não parece estar a chegar da faina, mais com os pescadores em pose de respeito, eventualmente durante as festas de N.ª Sr.ª da Assunção, presumo.
 
Imagem do filme: “Ala-Arriba” – José Leitão de Barros, 1942


publicado por cachinare às 08:12
link do post | comentar | favorito

5 comentários:
De jaime pião a 24 de Maio de 2010 às 15:51
Boa tarde meus amigos ,é disto que o meu povo gosta ,lembrar anos de glória dos nossos pescadores da pesca artezanal costeira ,sim porque antigamente eram estes os barcos de remos e velas próprias desses tempos , que com tempos bons eles pescavam em mares que hoge se calhar nem barcos a motor pescam ...
Mas esta foto nos mostra uma embarcação de então ,que com certeza estáva a ser filmada e não tinha nada de chegada da pesca ,porque se não vejamos !
O barco navega com o pano içado e rizado nas do meio ,ou seja nos segundos risos ,era assim que se chamava aquando do encolher do pano quando estava vento frescalhudo ,que não é o caso ,por isso só se compreende que isto foi sim uma demonstração de como se velejava com ventos frescos ,gostei de ver e apreciar esta foto ...
cumprimentos jaime pião ...


De Anónimo a 24 de Maio de 2010 às 16:01
Provavelmente que este NOVO TRIUNFO não é aquele
que há cerca de trinta anos eu estive para comprar,
só o não fazendo porque o dono me pedia 100 contos e eu só iria até aos 50, embora se tratasse de uma bonita embarcação.
Felizmente que esse barco ainda hoje existe, como
peça do Museu da Póvoa, juntamente com uma outra não menos valiosa.
Ao amigo Jaime Pião, e outros eventualmente interessados, recomenda-se uma visitação...
Um abraço amigo do
Al bino Gomes


De barcosdonorte a 25 de Maio de 2010 às 00:15
amigo Al Bino, est é uma catraia grande, apresenta na proa tilha corrida, e 14 tripulantes a bordo é barco para 10 metros . As que estão no museu da Povoa se a memória não me atraiçoa são catraias pequenas, devo ter algures fotos de todas elas do levantamento que fim corria o ano de 97...
é sempre bom rever memórias vivas, mesmo que em fotos...
abraço


De Anónimo a 25 de Maio de 2010 às 15:35
Ora viva então, o amigo João !
Estava quase na disposição de dar alvíssaras a quem me dissesse algo sobre o amigo...
Ainda esta manhã encontrei o nosso amigo Benjamin,
construtor naval de Vila Chã-Vila do Conde, que me
pediu para te transmitir que, independentemente de
qualquer interesse, tinha alguma madeira daquela torta
e indispensável para algumas reparações, que nos dispensava para aquilo que fosse preciso.
Como amigos destes hoje já não há muitos, aqui fica o
recado.
Sobre isto, espero que digas qualquer coisa para ficar mais descansado.

Quanto ao assunto da catraia em foto, pela sua
volumetria, em relação à "tripulação", logo deduzi não ser a tal catraia pequena.
Atendendo ao nome, tipo de letra e restante pintura,
com base no chamado verde garrafa, presumo terem
pertencido ao mesmo dono.

...E quando é que teremos próxima reunião?

Um abraço,
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Ora viva então, o amigo João ! <BR>Estava quase na disposição de dar alvíssaras a quem me dissesse algo sobre o amigo... <BR>Ainda esta manhã encontrei o nosso amigo Benjamin, <BR>construtor naval de Vila Chã-Vila do Conde, que me <BR>pediu para te transmitir que, independentemente de <BR>qualquer interesse, tinha alguma madeira daquela torta <BR>e indispensável para algumas reparações, que nos dispensava para aquilo que fosse preciso. <BR>Como amigos destes hoje já não há muitos, aqui fica o <BR>recado. <BR>Sobre isto, espero que digas qualquer coisa para ficar mais descansado. <BR><BR>Quanto ao assunto da catraia em foto, pela sua <BR>volumetria, em relação à "tripulação", logo deduzi não ser a tal catraia pequena. <BR>Atendendo ao nome, tipo de letra e restante pintura, <BR>com base no chamado verde garrafa, presumo terem <BR>pertencido ao mesmo dono. <BR><BR>...E quando é que teremos próxima reunião? <BR><BR>Um abraço, <BR class=incorrect name="incorrect" <a>Al</A> bino Gomes


De Anónimo a 26 de Maio de 2010 às 17:38
Por imperícia na condução destas electronicas máquinas, faltou assinar o comentário acima.
Com minhas desculpas,
Albino Gomes


Comentar post

mais sobre mim
subscrever feeds
últ. comentários
Outros tempos ,diria mesmo meus tempos de rapaz ,o...
Pois ,nesse estado bem bebido até a sua sombra ele...
Ver está foto, salta-me muitas saudades de ouvir m...
Pescador da Nazaré ,homem do antigamente ,com traj...
Uma das formidáveis pinturas de Almada Negreiros, ...
sou de Nazare gostava de saber o meu estorial de 1...
....................COMEMORAÇÕES DO DIA DA MARINHA...
Esta réplica do Vila do Conde, participou em vário...
Pois é exactamente tal como acima se diz.Depois de...
Boa tarde , com respeito a foto aqui presente eu j...

culturmar

tags

a nova fanequeira de vila chã

ala-arriba

alan villiers

apresentação

aquele portugal

argus

arte marítima

bacalhoeiros canadianos-americanos

bacalhoeiros estrangeiros

bacalhoeiros portugueses

barcos tradicionais

caxinas

cultura costeira

diversos

fotos soltas

galiza

jornal mare - matosinhos

memórias

modelismo naval

multimédia

museus do mar

pesca portuguesa

póvoa de varzim

relatos da lancha poveira "fé em deus"

santa maria manuela

veleiros

vila do conde

todas as tags

Vídeos
links
arquivos