Segunda-feira, 19 de Julho de 2010
A preto e branco.

 

 
“Porque os mares antigos são a Distância Absoluta,
O Puro Longe, liberto do peso do Atual...
E ah, como aqui tudo me lembra essa vida melhor,
Esses mares, maiores, porque se navegava mais devagar.
Esses mares, misteriosos, porque se sabia menos deles.”
 
 
in "Poemas – Ode Marítima"  por Álvaro de Campos – (heterónimo de) Fernando Pessoa.

 



publicado por cachinare às 08:46
link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De jaime piao a 19 de Julho de 2010 às 22:12
Quem diria ,esta foto me faz lembrar outros tempos ,das traineiras de Matosinhos anos 60 ,que cada traineira trazia a bordo campanhas de 40 homens cada, mais e menos ,o tempo de alar rede a mão ,e do peixe ser descarregado para as xalandras e bateiras e onde se descarregava na rampa ,muitas das vezes com muitas dificuldades quando o mar era vivo as xalandras vinham em cima das ondas pela rampa acima em carreira ,as vezes quando estava a rampa ocupada com muitas xalandras ,arranjava-se maneira de passar por cima doutras , mas faziam isso quem tinham boas campanhas , e o peixe era descarragado das xalandras ao bordão 3 cabazes cada dois homens as vezes 4 cabazes as vezes mais era conforme as campanhas ,cheguei a carregar 6 cabazes ao ombro com meu companheiro claro ,era a lei dos fortes ,quem fosse fraco morria ,muitos ficaram tuberculosos ,porque todos molhados e com fraca alimentação as vezes horas sem fim na praia e nem tempo havia para uma sandes ,eram tempos dificeis esses que quem quizesse ganhar duas coroas tinha que andar direitinho e nem piar ,ou então não tinha lugar nas melhores traineiras é isto que me fez lembrar agora esta foto do Francisco Borges que bem me lembro ,era uma das que pescava bem nesse tempo enfim ,ganhava-se uma parte o camarada ,contramestre duas partes e o mestre seis partes e conforme a pesca ,porque só o mestre tinha direito a levar um baú de sardinha em cada xalandra que ia a terra descarregar ,por aí se imagina as diferenças de valores entre camaradas e mestres ,mas ainda no fim da safra se o mestre era bom pescador o Patrão ainda dava uns centos de contos por fora ,por isso dos fracos não reza a HISTÓRIA !!!


Comentar post

mais sobre mim
subscrever feeds
últ. comentários
Esta bela foto retrata bem o que eram os tempos an...
Mais de um ano depois, volto aqui (ao blog), e li ...
é de facto interessante, mas .... o que caracteriz...
Conforme já referi algures, no próximo Sábado, 23 ...
Na verdade, típico é os nossos vizinhos da Póvoa ...
Belo quadro pintado ,dois botes um a vela e outro ...
Outros tempos ,diria mesmo meus tempos de rapaz ,o...
Pois ,nesse estado bem bebido até a sua sombra ele...
Ver está foto, salta-me muitas saudades de ouvir m...
Pescador da Nazaré ,homem do antigamente ,com traj...

culturmar

tags

a nova fanequeira de vila chã

ala-arriba

alan villiers

apresentação

aquele portugal

argus

arte marítima

bacalhoeiros canadianos-americanos

bacalhoeiros estrangeiros

bacalhoeiros portugueses

barcos tradicionais

caxinas

cultura costeira

diversos

fotos soltas

galiza

jornal mare - matosinhos

memórias

modelismo naval

multimédia

museus do mar

pesca portuguesa

póvoa de varzim

relatos da lancha poveira "fé em deus"

santa maria manuela

veleiros

vila do conde

todas as tags

Vídeos
links
arquivos