Terça-feira, 20 de Julho de 2010
Arte marítima.

 
“Struggle for the Catch” - Edward Henry Potthast
 
Nos tons escuros de céu e mar que um temporal traz, dois pescadores esforçam-se a alar as linhas de trole para o dóri. Ao que parece, um pequeno alabote debate-se fortemente, como era habitual neste peixe (ao contrário do “calmo” bacalhau), e um dos pescadores prepara-se “para o pôr a dormir”, com um pau que servia para este efeito. Não me recordo agora é o nome que lhe davam, a tal “arma”.


publicado por cachinare às 09:31
link do post | comentar | favorito

6 comentários:
De jaime piao a 20 de Julho de 2010 às 12:19
Bom dia a todos que passem por aqui em geral , e em especial ao António que bem serve este blogs um bem Haja .
Esta foto retrata bem os antigos pescadores do bacalhau e também pescadores dos alibutes ou alabotes como nós Portugueses chamava-mos ,eram bem bons os alabotes peixe que chegavam a pesar centenas de kilos bem grandes e que os Americanos e Canadianos muito valor lhe dão .
Assim nós portugueses pescava-mos bacalhau mas não se metia fora os alabotes até porque se fazia bom dinheiro com a venda deles em terra isto quando se ia a Santo Jonas congelados ou salgados se vendia bem , agora o pau que a gente usava para esfriar um pouco a cabeça destes peixes maiores como alabote ou as gatas era o desimbuxador servia para varias coisas entre elas desembuxar o anzol quando este vinha bem dentro do buxo do peixe ,e como disse antes para dar umas mocadas na cabeça destes peixes que não bacalhau ....cumprimentos jaime pião !


De Celestino a 22 de Julho de 2010 às 10:10
Olá, amigo Jaime Pião! Do alabote como nós chamávamos, só me lembro de os deitar borda fora quando vinham no anzól. Tenho um episódio em que pesquei um enorme como nunca vi e tive de cortar o estralho, ou filai, para o deixar ir à vida. Se tentasse metê-lo a bordo do dóri ia ter muitas dificuldades. Mais tarde, com as redes trazíamos paraa bordo os que vinham à rede. Lembro-me de comer alabote e de gostar. Já depois de deixar o bacalhau, nos anos oitenta, pedi a um camarada que andava no arrasto que me trouxe um dos pequenos e matei saudades daquele gosto tão saboroso. São estas as recordações que tenho do alabote. Sei que alguns os vendiam em St. John's, mas eu nunca o fiz.


De jaime piao a 22 de Julho de 2010 às 10:30
Bom dia amigo Celestino ,bom dia a todos que por aqui passem , claro que sabemos daquilo que falamos ,pois que passou pelas nossas mãos os bacalhaus alabotes e outros peixes que, hoje fariam as delicias dos melhores restaurantes e dos bons garfos ,por tudo isto uma singela homenagem ,ao blogs do amigo António que nos bem trazendo a baila das nossas ideias um passado rico em vivencias ,dos nossos mais velhos eu digo nossos avós ,pais e de nós mesmos que ainda provamos o amargo pão herdado dos nossos mais velhos ,um muito Obrigado a todos que já partiram e aos que ainda estão entre nós BEM -HAJA ... cumprimentos .Jaime Pião


De Anónimo a 22 de Julho de 2010 às 12:56
Tal como podemos ver se aumentarmos um pouco o zoom, o peixe deste quadro será aquilo a que nós
chamava-mos Gatas, já que tinha uma cabeça feia,
mais parecida com a cabeça de algumas raças de cão.
Em Julho do ano passado, estive numas fábricas de
peixe, situadas no extremo norte da Noruega, onde
amanhavam muito deste peixe, assim como Alabotes
e Bacalhau.
Segundo então nos informaram, a maioria das Gatas
iriam para os países africanos, tal como as cabeças
que ali estavam aos milhares e milhares penduradas
a secar, num cenário algo fantasmagorico.
Os Alabotes, também muito abundantes naquela zona,
seriam digeridos maioritariamente na Noruega.
Quanto ao Bacalhau, os noruegueses nem lhe ligam,
vai tudo para exportação.
Enquanto um dia me consolei, comendo 3 deliciosos
pratos de sopa de Alabote, Bacalhau não conseguimos encontrar em nenhum restaurante.
Saudações,

Albino Gomes
.



De jaime piao a 22 de Julho de 2010 às 22:59
Boa noite amigo Albino ,tudo bem ,mas o peixe no quadro tem tudo para ser alabote ,porque olha a cauda ou rabo desse peixe ,para mim é mesmo alabote ,mas seja o que for é peixe de grandes dimensões ,então tudo bem ,mas também sei que estás bem enformado ,por isso dou o beneficio da dúvida um abraço... jaime pião


De Anónimo a 25 de Julho de 2010 às 11:58
Então, pelo batalhar deste peixe, poderemos dizer que estamos perante uma gata selvagem.


Comentar post

mais sobre mim
subscrever feeds
últ. comentários
Outros tempos ,diria mesmo meus tempos de rapaz ,o...
Pois ,nesse estado bem bebido até a sua sombra ele...
Ver está foto, salta-me muitas saudades de ouvir m...
Pescador da Nazaré ,homem do antigamente ,com traj...
Uma das formidáveis pinturas de Almada Negreiros, ...
sou de Nazare gostava de saber o meu estorial de 1...
....................COMEMORAÇÕES DO DIA DA MARINHA...
Esta réplica do Vila do Conde, participou em vário...
Pois é exactamente tal como acima se diz.Depois de...
Boa tarde , com respeito a foto aqui presente eu j...

culturmar

tags

a nova fanequeira de vila chã

ala-arriba

alan villiers

apresentação

aquele portugal

argus

arte marítima

bacalhoeiros canadianos-americanos

bacalhoeiros estrangeiros

bacalhoeiros portugueses

barcos tradicionais

caxinas

cultura costeira

diversos

fotos soltas

galiza

jornal mare - matosinhos

memórias

modelismo naval

multimédia

museus do mar

pesca portuguesa

póvoa de varzim

relatos da lancha poveira "fé em deus"

santa maria manuela

veleiros

vila do conde

todas as tags

Vídeos
links
arquivos