Quarta-feira, 29 de Setembro de 2010
Arte marítima.

 
“Adieux” - George Haquette
 
Enquanto acena ao homem que parte para a faina, a mulher segura a fina rede provavelmente da apanha do camarão costeiro e o filho, com o seu inseparável barquinho será companhia na labuta da mãe. Várias vezes fiz algo semelhante na infância, quando ia apanhar amêijoa e berbigão com a minha mãe para o fieiro, entre Póvoa e Vila do Conde. 6 da manhã em dias de Verão e era eu o primeiro a acordar todo contente por ir tão cedo para a beira-mar “à caça” de bivalves. A mãe enchia o balde... e eu enchia o barco, feito de lata.


publicado por cachinare às 08:04
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
subscrever feeds
últ. comentários
Mais de um ano depois, volto aqui (ao blog), e li ...
é de facto interessante, mas .... o que caracteriz...
Conforme já referi algures, no próximo Sábado, 23 ...
Na verdade, típico é os nossos vizinhos da Póvoa ...
Belo quadro pintado ,dois botes um a vela e outro ...
Outros tempos ,diria mesmo meus tempos de rapaz ,o...
Pois ,nesse estado bem bebido até a sua sombra ele...
Ver está foto, salta-me muitas saudades de ouvir m...
Pescador da Nazaré ,homem do antigamente ,com traj...
Uma das formidáveis pinturas de Almada Negreiros, ...

culturmar

tags

a nova fanequeira de vila chã

ala-arriba

alan villiers

apresentação

aquele portugal

argus

arte marítima

bacalhoeiros canadianos-americanos

bacalhoeiros estrangeiros

bacalhoeiros portugueses

barcos tradicionais

caxinas

cultura costeira

diversos

fotos soltas

galiza

jornal mare - matosinhos

memórias

modelismo naval

multimédia

museus do mar

pesca portuguesa

póvoa de varzim

relatos da lancha poveira "fé em deus"

santa maria manuela

veleiros

vila do conde

todas as tags

Vídeos
links
arquivos