Segunda-feira, 25 de Outubro de 2010
Cancale.
A vila de Cancale, na parte interior do Norte da Bretanha, nunca foi terra de grandes fortunas, capaz de investir em expedições longínquas. O armamento de navios, de cariz familiar e local, dedicava-se maioritariamente à pesca do bacalhau na Terra Nova, onde os marinheiros de Cancale labutavam desde o séc. XVI. A importância do armamento para a Grande Pesca daria ao longo dos séculos um avanço considerável a Cancale e tornaria a região da Houle no principal porto da pesca na Terra Nova.
Dividiam-se pois em dois os grandes periodos no ano: a Primavera e o Verão, onde uma grande parte dos homens estavam ausentes e o Outono e Inverno, onde os mesmos se consagravam à pesca costeira, apanha de algas ou à agricultura.
O típico lugre de pesca de 3 mastros utilizado na pesca do bacalhau, tinha em média 45 metros de comprimento e 350 toneladas brutas. Estes navios da Terra Nova eram facilmente distinguidos pelos dóris empilhados até ao nível do mastro de mezena (foto 1). Socos, botas em couro ou em lona, calças, casaco e sobretudo também em lona, eram as roupas habituais destes pescadores. Chegados aos Bancos de pesca, largavam âncoras para pescar com isca de moluscos. Dois a dois, os homens embarcavam nos dóris e partam para o largo onde começavam a largar até regressar ao navio.
O seu maior inimigo era o tempo, causa de tantos desaparecidos. Depois de 7 ou 8 meses de mar, com os navios cheios de bacalhaus, regressavam para embarcarem depois nos barcos Bisquines de pesca costeira ou dedicar-se à agricultura até à próxima campanha.

tags:

publicado por cachinare às 08:09
link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De Anónimo a 26 de Outubro de 2010 às 12:39
Na foto 1, temos um Lugre/Patacho, cuja armação, exceptuando a do nosso querido Gazela, e mais um ou outro dos tempos de antanho, não era muito usual na nossa frota, onde predominavam os Lugres.
Tal como diz um ditado português: «Nós aprendemos até morrer, e morreremos sem saber».
Como não percebi aquela parte onde diz que estes navios «eram facilmente distinguidos pelos dóris empilhados até ao nível do mastro da mezena»,
permito-me solicitar um melhor esclarecimento desta frase, nomeadamente quanto ao nível.
Cumprimentos,

Albino Gomes


Comentar post

mais sobre mim
subscrever feeds
últ. comentários
Esta bela foto retrata bem o que eram os tempos an...
Mais de um ano depois, volto aqui (ao blog), e li ...
é de facto interessante, mas .... o que caracteriz...
Conforme já referi algures, no próximo Sábado, 23 ...
Na verdade, típico é os nossos vizinhos da Póvoa ...
Belo quadro pintado ,dois botes um a vela e outro ...
Outros tempos ,diria mesmo meus tempos de rapaz ,o...
Pois ,nesse estado bem bebido até a sua sombra ele...
Ver está foto, salta-me muitas saudades de ouvir m...
Pescador da Nazaré ,homem do antigamente ,com traj...

culturmar

tags

a nova fanequeira de vila chã

ala-arriba

alan villiers

apresentação

aquele portugal

argus

arte marítima

bacalhoeiros canadianos-americanos

bacalhoeiros estrangeiros

bacalhoeiros portugueses

barcos tradicionais

caxinas

cultura costeira

diversos

fotos soltas

galiza

jornal mare - matosinhos

memórias

modelismo naval

multimédia

museus do mar

pesca portuguesa

póvoa de varzim

relatos da lancha poveira "fé em deus"

santa maria manuela

veleiros

vila do conde

todas as tags

Vídeos
links
arquivos