Sexta-feira, 30 de Novembro de 2012
“Milena-1948, Memórias de uma Campanha”.

 

«Aquela que seria mais uma viagem para a pesca do bacalhau revelou-se bastante atribulada. Essas memórias foram, agora, imortalizadas por Armindo Bagão da Silva.

Os azares começaram a ameaçar o navio “Milena” assim que saiu da barra de Aveiro para se fazer ao mar em mais uma campanha da pesca do bacalhau. Corria o ano de 1948 e a bordo daquele lugre de quatro mastros, entre todos os tripulantes, seguia o ilhavense Armindo Bagão da Silva, na altura um jovem de 15 anos, que cumpria a sua segunda viagem à pesca do bacalhau. Foi uma campanha atribulada, marcada por várias desventuras, que Armindo Bagão da Silva, actualmente com 80 anos, e a residir no Canadá, decidiu passar para o papel.

 


“Este é um relato de alguém que esteve a viver tudo por dentro e a participar activamente nas tarefas de bordo”, destaca João Bagão Silva, sobrinho do autor deste livro onde não faltam aventuras para contar. “Aconteceu de tudo um pouco, desde um temporal em que uma vaga levou cinco para fora de borda e foi o próprio mar que voltou a levá-los para dentro do navio. Infelizmente, só voltaram quatro. Perdeu-se um tripulante”, relata João Bagão Silva, a propósito dos episódios que surgem retratados neste livro que é editado pelo jornal “O Ilhavense”.
Para o sobrinho do autor, é “lícito estabelecer-se um vínculo de complementaridade entre este testemunho de Armindo Bagão da Silva e “A Campanha do Argus”, de Alan Villiers – obra canónica sobre a pesca à linha do bacalhau, no contexto da apelidada white fleet”. “Passo a explicar: é que se naquela magnificente obra somos brindados com uma descrição apaixonada, embora toldada por parâmetros de rigor e de erudição, do que era a vida a bordo de um lugre – registada por alguém que tem uma visão ‘externa’ de um momento muito particular da nossa história marítima –, Armindo Bagão da Silva, por seu turno, oferece-nos uma viagem ao interior da viagem – passe o pleonasmo – num relato em que é simultaneamente narrador e protagonista”, escreve João Bagão Silva no prefácio de “Milena-1948, Memórias de uma Campanha”.»

 

artigo de Maria José Santana – 22-11-2012 - Diário de Aveiro



publicado por cachinare às 11:16
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

1 comentário:
De jaime piao a 3 de Dezembro de 2012 às 20:29
Se é certo que esta foto é de 1948 então eu tinha somente 5 anos ,mas muito cedo ouvia falar deste belo lugre motor o Milena de quatro mastros ,pois que com 19 anos ainda foi a tempo de embarcar no lugre motor Avis também de 4 mastros ,mas sempre ouvi dizer que o Milena era sem dúvida um veleiro bacalhoeiro lindo com boa linhagem ,enfim não havia Navios bacalhoeiros que ao fim de seis meses mais e menos de viagem e pesca e que não tivessem que contar ao fim da viagem ,pois das sete viagens que dei a bacalhau tinha matéria para escrever dois livros entre o Avis ,Inácio Cunha e Novos Mares ,pois que eram sempre seis meses mais qualquer coisa e aconteciam sempre coisas ,felizmente que Deus nos cobria sempre com seu manto e de braços abertos a proteger os muitos pescadores e não só que embarcavam para a pesca do bacalhau ,.. Tempos que o tempo não apaga !


Comentar post

mais sobre mim
subscrever feeds
pesquisar neste blog
 
Modelos construídos por António Fangueiro
últimos comentários
Então, ora viva quem vier por bem.E quem não vier,...
Eram tempos em que a moçada do meu tempo de uma la...
Bom dia amigo, tenho um modelo do TITANIC com toda...
Bom dia amigo, tenho um modelo do TITANIC com toda...
Homens como Patrão Lagoa houveram muitos ,que dera...
Estas e outras façanhas do «imortalizado» patrão L...
Para além do clima ameno, eram estes postais e car...
Seja bem aparecido António, pois tens andado arred...
If i was a rich man, é o nome de uma bonita canção...
Olá Amigos, que prazer ter este achado histórico, ...
Tags

a nova fanequeira de vila chã(37)

ala-arriba(44)

alan villiers(26)

apresentação(3)

aquele portugal(58)

argus(25)

arte marítima(337)

bacalhoeiros canadianos-americanos(54)

bacalhoeiros estrangeiros(42)

bacalhoeiros portugueses(189)

barcos tradicionais(163)

caxinas(52)

cultura costeira(30)

diversos(100)

fotos soltas(139)

galiza(5)

jornal mare - matosinhos(3)

memórias(24)

modelismo naval(25)

multimédia(106)

museus do mar(29)

pesca portuguesa(42)

póvoa de varzim(88)

relatos da lancha poveira "fé em deus"(12)

santa maria manuela(2)

veleiros(12)

vila do conde(62)

todas as tags

links
arquivos
Sondagem 1
Apoia o fim das Caxinas como .Lugar. ?
Não.
Sim, para Freguesia.
Sim, para Vila.
Sem opinião.
View Result
Free Poll
texas holdem
Caxinas ainda é .Lugar. porquê?
Não tem estatuto para mais.
Vila do Conde não o quer.
A população não está informada.
View Result
Free Poll
texas holdem