Sábado, 8 de Dezembro de 2012
Bacalhaus para o aquário do Museu de Ílhavo chegaram... congelados.

 

«As três dezenas de peixes juvenis, com cerca de um ano de vida, e que se destinavam à nova estrutura do Museu Marítimo de Ílhavo, terão sido vítimas de negligência no transporte

Os trinta bacalhaus que partiram esta segunda-feira da Noruega - para uma longa viagem, de avião e de transporte rodoviário -, saíram de Alesund, passaram por Oslo, aterraram em Lisboa e seguiram daqui por estrada até à cidade de Ílhavo, onde, por esta hora, já deviam estar a nadar, nos tanques de quarentena. Destinavam-se ao primeiro aquário de bacalhaus do país. Mas chegaram mortos.

A expectativa era grande, mas rapidamente passou a desilusão. Assim que se abriu a primeira caixa de transporte, já depois das 23h, a consternação tomou conta da equipa do Museu Marítimo de Ílhavo e da empresa ADN – que está a proceder à montagem do aquário com inauguração anunciada para breve na unidade museológica. Dentro das caixas, opacas, os peixes, com cerca de 30 centímetros e 1,5 quilos, em média, estavam completamente envoltos por blocos de gelo. “Só pode ter sido falta de cuidado da parte da carga no avião”, atirava um dos técnicos que acompanhou a operação, que devia ter culminado com a entrada dos bacalhaus nos tanques de água onde iriam ficar em quarentena até entrarem no aquário.

“Nunca aconteceu uma coisa destas. Transportamos peixes vindos da Indonésia, em viagens muito mais longas, e corre sempre tudo bem”, comentava Luís Câncio, biólogo da ADN. Resta, agora, apurar responsabilidades pela morte dos peixes, embora esta noite, no museu, toda a gente apostasse que a falha ocorreu a grande altitude, entre Oslo e Lisboa. “Os animais vivos têm de ser transportados em porões climatizados. Estes bacalhaus de certeza que vieram no porão de baixo e foram sujeitos a uns 50.º negativos”, atirava João Correia, da empresa Flying Sharks.

Uma coisa é certa: estes peixes que eram aguardados com grande expectativa já não vão povoar o futuro aquário de bacalhaus – com inauguração marcada para dia 16. Fica a promessa da Câmara de Ílhavo de fazer tudo para evitar que este revés adie os planos de abrir aquele novo equipamento ao público ainda no decorrer deste mês. “É uma desilusão, mas faremos de tudo para  trazer novos bacalhaus o quanto antes”, assegurou Fernando Caçoilo, vereador da autarquia, que acompanhava a operação.

O aquário de bacalhaus foi construído no âmbito da ampliação do Museu Marítimo de Ílhavo – um investimento de 2,8 milhões de euros, financiado pelo Programa Operacional da Região Centro em 85%. O aquário, especificamente, resulta de uma parceria com o Museu Marítimo de Alesund, na Noruega. A inauguração do tanque de bacalhaus, animais que os portugueses estão habituados a ver no prato mas raramente conseguem ver com vida, deverá encerrar o programa da comemoração dos 75 anos do Museu Marítimo de Ílhavo.

 

por Maria José Santana - in PUBLICO, 4-12-2012.

 

foto ADRIANO MIRANDA.



publicado por cachinare às 23:01
link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De Anónimo a 9 de Dezembro de 2012 às 12:27
Por vezes, O INCRÍVEL ACONTECE .
Se há, aguardemos então, uma possível explicação . . .

Al bino Gomes


Comentar post

mais sobre mim
subscrever feeds
últ. comentários
De há longos anos a esta parte, tenho tido o privi...
Parabéns ao Sr João Paquito pela realização do seu...
Quer seja Cascais ou a Caparica, toda esta beleza ...
Quanta beleza e felicidade, vai no rosto desta pob...
Estas coisas tratadas fora dos Açores não dariam p...
Mais do que o típico barco da pesca ao candil (a),...
Parafraseando uma frase dos antigos livros escolar...
Não está mal, não é muito do meu gosto e não vejo ...
Pois é peixes na areia para venda ,de principio sã...
ENTENDO QUE ESTÁ MUITO BEM O LUGAR ONDE FOI INAUGU...

tags

a nova fanequeira de vila chã

ala-arriba

alan villiers

apresentação

aquele portugal

argus

arte marítima

bacalhoeiros canadianos-americanos

bacalhoeiros estrangeiros

bacalhoeiros portugueses

barcos tradicionais

caxinas

cultura costeira

diversos

fotos soltas

galiza

jornal mare - matosinhos

memórias

modelismo naval

multimédia

museus do mar

pesca portuguesa

póvoa de varzim

relatos da lancha poveira "fé em deus"

santa maria manuela

veleiros

vila do conde

todas as tags

Sondagem
Apoia o fim das Caxinas como .Lugar. ?
Não.
Sim, para Freguesia.
Sim, para Vila.
Sem opinião.
View Result
Free Poll
texas holdem
Caxinas ainda é .Lugar. porquê?
Não tem estatuto para mais.
Vila do Conde não o quer.
A população não está informada.
View Result
Free Poll
texas holdem
arquivos
links
Vídeos