Domingo, 10 de Agosto de 2008
O Caíco – Póvoa de Varzim.

Em Outubro de 2007 fui de carro a Portugal para umas curtas férias e depois de dois dias e meio de viagem, o primeiro lugar nas Caxinas onde parei o carro foi em frente à praia, onde me deparei com esta pequena embarcação. De imediato me chamou à atenção e tirei-lhe meia dúzia de fotos, pois ali naquele mesmo areal onde sempre passei os meus Verões nunca tinha visto este tipo de barco, embora soubesse que até alturas de finais dos anos 70 ainda povoavam estas praias, juntamente com muitas catraias, provavelmente o barco mais característico das Caxinas do passado.

Recentemente descobri na internet em formato pdf uma revista Galega sobre embarcações tradicionais onde colaboram alguns Portugueses e para meu espanto uma das fotos antigas mostra exactamente o mesmo pequeno barco, o típico Caíco da Póvoa de Varzim de nome “António João” e exactamente no mesmo local do areal. É a embarcação mais pequena da classe do Barco Poveiro, mas o porquê de estar na praia das Caxinas é ainda para mim um mistério. Como detalhe,pode ver-se que tem a popa cortada para o uso de motor fora de borda, sendo por tal já um “híbrido”.
Pela foto antiga, diria que será de inícios dos anos 80, onde se pode ver que neste tempo as Caxinas ainda não eram “invadidas” por turistas, como denotam as ervas a crescer no areal e os paus de secar a roupa e o peixe. Com o advento do turismo nas Caxinas e muito antes na Póvoa de Varzim, as praias e seus acessos foram literalmente “limpos” de tudo o que pudesse afastar o turista, ervas no areal, redes de pesca abandonadas, paus de secar peixe ao Sol e... os pequenos barcos de pesca. Muitos problemas tiveram os pescadores com as autoridades por causa do turismo que os proibia de usar os areais como sempre o haviam feito para os seus barcos e artes, isto já em tempos muito recuados.
Concordo plenamente com o turismo, mas este pequeno caíco que está agora na praia das Caxinas merece ter mais meia dúzia de velhos companheiros da faina à volta dele, óbviamente réplicas, mas que são presenças obrigatórias a mostrar e lembrar o passado a quem nos visita e a quem é da terra. Na Póvoa de Varzim e muitas mais praias do país seria importante acontecer o mesmo. Julgo que todos ganham com isso, pois os barcos antigos são bandeiras (muito atractivas) das comunidades às quais pertencem. No estrangeiro já tenho visto várias publicações turísticas referentes a Portugal e é comum ser um barco típico Português a ilustrar a capa.


publicado por cachinare às 14:14
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
subscrever feeds
últ. comentários
Outros tempos ,diria mesmo meus tempos de rapaz ,o...
Pois ,nesse estado bem bebido até a sua sombra ele...
Ver está foto, salta-me muitas saudades de ouvir m...
Pescador da Nazaré ,homem do antigamente ,com traj...
Uma das formidáveis pinturas de Almada Negreiros, ...
sou de Nazare gostava de saber o meu estorial de 1...
....................COMEMORAÇÕES DO DIA DA MARINHA...
Esta réplica do Vila do Conde, participou em vário...
Pois é exactamente tal como acima se diz.Depois de...
Boa tarde , com respeito a foto aqui presente eu j...

culturmar

tags

a nova fanequeira de vila chã

ala-arriba

alan villiers

apresentação

aquele portugal

argus

arte marítima

bacalhoeiros canadianos-americanos

bacalhoeiros estrangeiros

bacalhoeiros portugueses

barcos tradicionais

caxinas

cultura costeira

diversos

fotos soltas

galiza

jornal mare - matosinhos

memórias

modelismo naval

multimédia

museus do mar

pesca portuguesa

póvoa de varzim

relatos da lancha poveira "fé em deus"

santa maria manuela

veleiros

vila do conde

todas as tags

Vídeos
links
arquivos