Domingo, 31 de Agosto de 2008
A preto e branco.

 

Três escunas em Digby County, Nova Escócia, como peixes fora de água mostram a forma dos seus cascos a toda a linha. Serão escunas de comércio e não de pesca, como atestará o amplo castelo da popa e o enorme e altivo gurupés pouco comum às escunas de pesca. São imagens que põem a imaginação a trabalhar em busca do passado das docas de Lisboa, Porto, Figueira da Foz e tantas outras apinhadas de barcos à vela de todo o tipo, tamanho e feitio, a partir e a arribar, varados, a construír e a apodrecer. Tempos até 1900 com pouco ou nenhum barulho de motores e muito burburinho de ribeira, cabos a correr nas adriças, sinetas e vozeirões a apregoar, a azáfama dos transportes de terra. Águas cheias de suave movimento de madeira, velas e remos.



publicado por cachinare às 13:17
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
subscrever feeds
últ. comentários
Tal como se poderá observar pela matrícula e pela ...
Gostei muito do seu blog, se quiser ver um pouco m...
Este comentário anónimo. datado de 9 de Setembro ...
Para além deste mar azul e da sua areia dourada, +...
Na verdade, tão belo quanto elucidativo este quadr...
Mas que beleza de foto ou pintura que retrata bem ...
Aproveitando a ocasião, sugiro a todos, pescadores...
Na verdade, tal como diz o Jaime Pontes, esta pose...
Claro que como demonstração tá tal e qual mas ,não...
Tal como se fosse um «filho pródigo», 7 meses depo...

culturmar

tags

a nova fanequeira de vila chã

ala-arriba

alan villiers

apresentação

aquele portugal

argus

arte marítima

bacalhoeiros canadianos-americanos

bacalhoeiros estrangeiros

bacalhoeiros portugueses

barcos tradicionais

caxinas

cultura costeira

diversos

fotos soltas

galiza

jornal mare - matosinhos

memórias

modelismo naval

multimédia

museus do mar

pesca portuguesa

póvoa de varzim

relatos da lancha poveira "fé em deus"

santa maria manuela

veleiros

vila do conde

todas as tags

Vídeos
links
arquivos