Quarta-feira, 22 de Janeiro de 2014
Aquele Portugal.

 

«Morro de Amor pelas águas da Ria
Esta espuma de dor, eu não sabia
sou moliceiro do teu lodo fecundo
Sou a Ria de Aveiro, o Sal do mundo
Vara comprida, tamanho da vida
Braço de mar, a lavrar, a lavrar…
Morro de Amor nesta rede que teço
e é no Sal do Suor que eu aconteço.
Para além da Salina, o horizonte me ensina
que há muito Mar, para lavrar, para lavrar… .»

José Carlos Ary dos Santos



publicado por cachinare às 17:48
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
subscrever feeds
últ. comentários
Pois é exactamente tal como acima se diz.Depois de...
Boa tarde , com respeito a foto aqui presente eu j...
Salvo melhor opinião, julgo que esta imagem do gra...
Queria saber Quem deu o nome ao barco
Olá amigo Bino ,tens razão afinal a minha confusão...
Olá amigo Jaime,Tudo bem no teu comentário, except...
Santa Maria Manuela ,um dos três cisnes brancos .J...
Joana tu és filha dá Zuliminha, minha prima, e irm...
Eu sou neta de Salvador Carvalho e filha de Salvad...
Bela foto de outros tempos aqui fala em anos 30 ,p...

culturmar

tags

a nova fanequeira de vila chã

ala-arriba

alan villiers

apresentação

aquele portugal

argus

arte marítima

bacalhoeiros canadianos-americanos

bacalhoeiros estrangeiros

bacalhoeiros portugueses

barcos tradicionais

caxinas

cultura costeira

diversos

fotos soltas

galiza

jornal mare - matosinhos

memórias

modelismo naval

multimédia

museus do mar

pesca portuguesa

póvoa de varzim

relatos da lancha poveira "fé em deus"

santa maria manuela

veleiros

vila do conde

todas as tags

Vídeos
links
arquivos