Quarta-feira, 22 de Janeiro de 2014
Aquele Portugal.

 

«Morro de Amor pelas águas da Ria
Esta espuma de dor, eu não sabia
sou moliceiro do teu lodo fecundo
Sou a Ria de Aveiro, o Sal do mundo
Vara comprida, tamanho da vida
Braço de mar, a lavrar, a lavrar…
Morro de Amor nesta rede que teço
e é no Sal do Suor que eu aconteço.
Para além da Salina, o horizonte me ensina
que há muito Mar, para lavrar, para lavrar… .»

José Carlos Ary dos Santos



publicado por cachinare às 17:48
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
subscrever feeds
últ. comentários
Aproveitando a ocasião, sugiro a todos, pescadores...
Na verdade, tal como diz o Jaime Pontes, esta pose...
Claro que como demonstração tá tal e qual mas ,não...
Tal como se fosse um «filho pródigo», 7 meses depo...
é com orgulho e admiração que leio e recordo este ...
Esta bela foto retrata bem o que eram os tempos an...
Mais de um ano depois, volto aqui (ao blog), e li ...
é de facto interessante, mas .... o que caracteriz...
Conforme já referi algures, no próximo Sábado, 23 ...
Na verdade, típico é os nossos vizinhos da Póvoa ...

culturmar

tags

a nova fanequeira de vila chã

ala-arriba

alan villiers

apresentação

aquele portugal

argus

arte marítima

bacalhoeiros canadianos-americanos

bacalhoeiros estrangeiros

bacalhoeiros portugueses

barcos tradicionais

caxinas

cultura costeira

diversos

fotos soltas

galiza

jornal mare - matosinhos

memórias

modelismo naval

multimédia

museus do mar

pesca portuguesa

póvoa de varzim

relatos da lancha poveira "fé em deus"

santa maria manuela

veleiros

vila do conde

todas as tags

Vídeos
links
arquivos