Quarta-feira, 1 de Setembro de 2010
A preto e branco.

 

 
Lá vai uma pequena catraia, desta vez em missão de salvamento. Para os interessados em descobrir como se desenrolou a acção... nada melhor que adquirir o filme.
 
Imagem do filme: “Ala-Arriba” – José Leitão de Barros, 1942


publicado por cachinare às 08:25
link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De jaime piao a 1 de Setembro de 2010 às 11:44
Bela foto esta que me apraz dizer que era a realidade nesses tempos idos em que as ditas catraias faziam de salva vidas ,eu diria mesmo que muito raras vezes aqui nas Caxinas o salva vidas ia abaixo para socorrer fosse quem fosse ,até porque era mais difícil meter o salva vidas a baixo do que uma catraia , era simples e mais rápido fazer de salva vidas com uma simples catraia nome dado a um barco maior aqui na praia dos barcos de Caxinas ,os pescadores já estavam habituados a essas andanças ,era só darem o alarme de barco em perigo na barra ou mar que bem de vinda ou o mar é vivo que logo se preparavam para o pior ,então havia sempre uma das catraias a mão para fazer de salva vidas e as vezes o dono do barco nem era sabedor que o seu barco foi para barra fazer de salva vidas ,pelo contrário lembro-me que ficavam vaidosos quando era o barco deles que ia fazer de salva vidas ,pelo menos o meu Pai era uma dessas pessoas que dizia assim ,a minha catraia está sempre pronta ,e que bem remava bastava 3 remos de cada lado e dava gosto ver aquela catraia remar saia a barra muito rapidamente e chegou a valorizar-se no salvamento ,mais em trazer outros barcos para a praia das Caxinas barcos esses da Povoa e até de Aver o Mar ,posso dizer que ainda é do meu tempo de rapaz ver com meus olhos os gritos das mulheres da Povoa e de Aver o Mar ,porque na barra da Povoa não podiam entrar com o mar vivo mas aqui nas Caxinas com menor dificuldades eram bem sucedidos ,mas alguns diziam que para as Caxinas nunca antes queriam arrisca na barra da Povoa ,que a meu ver nunca foi uma barra segura ,mesmo hoje com mar vivo é difícil ,memórias que os tempos teimam em não apagar !


Comentar post

mais sobre mim
subscrever feeds
últ. comentários
boa tarde.Só para informar que a fotografia é da a...
meu tataravô era Armeiro ai Na Noruega. Gostaria d...
Meu Caro António FangueiroJulgo que se equivocou a...
Com todos os dados meu amigo Albino ,claro que ouv...
Desta foto guardo bastas recordações ,pois foi nes...
Grato, amigo António Fangueiro! Bem-haja!Grande ab...
Até tu Peixe-Espada, desapareces-te ! . . .Talvez ...
Olá, GraçaMuito obrigada pela partilha da sua hist...
Olá, Ana Paula!Só agora vi este comentário. Sim, s...
Caro Albino Gomes, Muito obrigada pela partilha!

culturmar

tags

a nova fanequeira de vila chã

ala-arriba

alan villiers

apresentação

aquele portugal

argus

arte marítima

bacalhoeiros canadianos-americanos

bacalhoeiros estrangeiros

bacalhoeiros portugueses

barcos tradicionais

caxinas

cultura costeira

diversos

fotos soltas

galiza

jornal mare - matosinhos

memórias

modelismo naval

multimédia

museus do mar

pesca portuguesa

póvoa de varzim

relatos da lancha poveira "fé em deus"

santa maria manuela

veleiros

vila do conde

todas as tags

Vídeos
links
arquivos