Sábado, 29 de Março de 2008
O barco de Chebacco.
Durante a Revolução Americana em finais do séc. XVIII, os Ingleses practicamente destruiram a frota de pesca da Nova Inglaterra. Uma vez que o capital para construír novas escunas escasseava, era necessário produzir novos barcos de baixo custo e que fossem construídos num curto espaço de tempo. Um pequeno barco de dois mastros, na altura popular na pesca costeira, parecia ser o ideal. Por ter sido desenvolvido em Essex, Massachusetts, na altura uma paróquia de Ipswich de nome “Chebacco”, a embarcação passou a ser conhecida por “barco de Chebacco” caso tivesse a popa bicuda, ou “Chebacco corpo-de-cão” caso a popa fosse quadrada (não se conhece a origem do termo “corpo-de-cão”).
Barcos de Chebacco foram construídos às centenas não só em Essex, mas também noutras povoações costeiras. Tipicamente, comportavam entre 22 a 30 toneladas brutas e em media tinham de comprimento entre 7 a 14 metros. Possuía dois mastros mas não gurupés. Usualmente eram embarcações de convés corrido com várias cabines ou bases de apoio onde os pescadores se posicionavam para pescar. Um alçapão a meio dava acesso ao porão do peixe.
A tradição local de Essex diz que o primeiro barco de Chebacco foi construído no sótão de uma casa, no entanto será mais lenda que facto. Ainda assim, os chebaccos eram quase sempre construídos perto da casa do constructor, por vezes a poucos metros da porta de entrada. Quando terminados, os barcos eram metidos em dois pares de rodas de madeira e puxados até ao local do bota abaixo por parelhas de bois. Este modo de construção deixou de ser practicado cerca de 1835, passando a efectuar-se à beira-rio.
Em 1998, a Sociedade Histórica de Essex e o Museu de Construção Naval, comissionaram o constructor de Essex Harold Burnham para a construção de um Chebacco com a finalidade de servir de bandeira do museu. A embarcação de nome “Lewis H. Story” mede cerca de 9 metros no convés e o seu casco, aparelhagem de convés e cordame são típicos dos pescadores do pós-Guerra Revolucionária.
“Lewis H. Story” é o nome em honra do mestre, entalhador, desenhador, modelista e investigador naval de Essex Lewis H. Story (1873-1948) de cujos estaleiros inúmeras escunas saíram. Todos os estudos contemporâneos da história de Essex e do desenho de escunas de pesca Americanas são baseados no seu saber, investigação e desenvolvimento.
Traduzido do Museu de Construção Naval de Essex.
2ª foto da autoria de food win
 
“Lewis H. Story” – foto 1
“Lewis H. Story” – foto 2


publicado por cachinare às 15:32
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
subscrever feeds
últ. comentários
boa tarde.Só para informar que a fotografia é da a...
meu tataravô era Armeiro ai Na Noruega. Gostaria d...
Meu Caro António FangueiroJulgo que se equivocou a...
Com todos os dados meu amigo Albino ,claro que ouv...
Desta foto guardo bastas recordações ,pois foi nes...
Grato, amigo António Fangueiro! Bem-haja!Grande ab...
Até tu Peixe-Espada, desapareces-te ! . . .Talvez ...
Olá, GraçaMuito obrigada pela partilha da sua hist...
Olá, Ana Paula!Só agora vi este comentário. Sim, s...
Caro Albino Gomes, Muito obrigada pela partilha!

culturmar

tags

a nova fanequeira de vila chã

ala-arriba

alan villiers

apresentação

aquele portugal

argus

arte marítima

bacalhoeiros canadianos-americanos

bacalhoeiros estrangeiros

bacalhoeiros portugueses

barcos tradicionais

caxinas

cultura costeira

diversos

fotos soltas

galiza

jornal mare - matosinhos

memórias

modelismo naval

multimédia

museus do mar

pesca portuguesa

póvoa de varzim

relatos da lancha poveira "fé em deus"

santa maria manuela

veleiros

vila do conde

todas as tags

Vídeos
links
arquivos