Quarta-feira, 25 de Junho de 2008
A preto e branco.

Esta é uma foto que por certo muita gente das Caxinas e Póvoa de Varzim reconhecerá, embora esteja a preto e branco. Será de princípios dos anos 80, julgo que no cais Norte da actual marina da Póvoa e mostra um guindaste enorme do qual me recordo exactamente como está na foto, tombado. À entrada do outro cais que envolve a marina já nas Caxinas, existia um guindaste igual à entrada e lembro-me de passar debaixo dele sempre que ia pescar com o meu pai para as pedras com umas linhas e anzóis, nas tardes abafadas dos sábados de Agosto. Como sabia bem a aragem fresca do vento no cais.

Na verdade, o meu primeiro “aparelho de pesca” foi um pau de vassoura com dois pequenos fios de seda (jarda) na ponta e anzóis pequeninos para as marachombas. O isco, eram pulgas da areia, previamente apanhadas no areal da parte de dentro do cais e metidas numa garrafa de cerveja Cristal, ou quando era possível a “sarrada”, um tipo de vermes que vive debaixo do mexilhão que cobre as pedras da maré baixa. Foi assim que comecei com uns 9 ou 10 anitos a andar pelas pedras do cais e quando passava por baixo daquele enorme guindaste amarelo e ferrugento, ficava deslumbrado com tamanho monstro que parecia adormecido há já muitos anos e quantas vezes perdia os chinelos de tanto olhar para ele.
Um dia vi que o guindaste fora deslocado até meio do cais e mais tarde, se bem me recordo, estava também tombado na água. Na altura nunca percebi porquê que lhe haviam feito aquilo e nunca mais o “guardião do cais” me recebeu e deixou passar por baixo das suas 4 pernas rumo à minha pescaria. Eventualmente seria desmantelado.


publicado por cachinare às 13:06
link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




mais sobre mim
subscrever feeds
últ. comentários
Como corroborando o acima dito no último paragrafo...
Pode me falar alguma coisa sobre meu parente, ANTO...
Em relação ao seu comentário, pergunto: O nome do ...
Boa tarde.O Hugo tem precisamente o mesmo problema...
Eu sou um modelista naval amador (ou pelo menos te...
Boa tarde, JoséDaqui Joana, filha da Zulima (sua p...
Mus Pais tinham uma pequena tasca que servia almoç...
Boa tarde:Eu não irei propriamente comentar nenhum...
Um texto de uma rara emoção e intensidade, à altur...
Poderiam colocar a tag ficção ou cinema/tv. em bre...
tags

a nova fanequeira de vila chã

ala-arriba

alan villiers

apresentação

aquele portugal

argus

arte marítima

bacalhoeiros canadianos-americanos

bacalhoeiros estrangeiros

bacalhoeiros portugueses

barcos tradicionais

caxinas

cultura costeira

diversos

fotos soltas

galiza

jornal mare - matosinhos

memórias

modelismo naval

multimédia

museus do mar

pesca portuguesa

póvoa de varzim

relatos da lancha poveira "fé em deus"

santa maria manuela

veleiros

vila do conde

todas as tags

links
arquivos