Terça-feira, 2 de Setembro de 2008
“Effie M. Morrissey”, em detalhe no Ártico.
Já anteriormente escrevi sobre esta escuna, a qual há umas décadas atrás passaria a chamar-se “Ernestina” e ficaria ligada a Cabo Verde para sempre. Como também já mencionei, o Governo de Cabo Verde pretende adquirir esta embarcação e está a iniciar os processos para tal.
Escrevo mais um pouco sobre esta escuna devido a esta foto que a mostra quando andou a explorar o Ártico adquirida pelo famoso Capitão Robert A. Bartlett em 1925. Chamava-lhe “a pequena Morrissey” e sendo construída como escuna de pesca para os Bancos, a embarcação estava bem preparada para os trabalhos a Norte. Bartlett instalou-lhe um motor a diesel em 1926 para maior velocidade e manobra, no entanto para o seu capitão, mantinha-se primariamente como um navio à vela. Robert A. Bartlett velejava nas costas do Labrador desde miúdo e fez a sua primeira viagem ao extremo Norte ainda jovem, como tripulante a bordo do navio do seu tio “Windward” (“Barlavento”).
Cerca de 10 anos mais tarde, Bartlett era um dos exploradores do Ártico mais afamados do mundo. Como capitão do “Effie M. Morrissey”, transportou muitos investigadores e exploradores ao extremo Norte. Frequentemente levava a escuna a regiões que poucos outros navios visitavam, desde as águas gélidas ao largo da costa Leste da Gronelândia até ao recorde dos 80º de latitude Norte. Tal como MacMillan, outro explorador de nomeada, com frequência impelia a escuna através das massas de gelo e era conhecido por usar dinamite para forçar a passagem quando necessário.
Investigadores que seguiam nas suas expedições confiavam na sua destreza para os levar ao destino e fazer regressar a casa em segurança. Em mais de 20 anos a velejar a bordo do “Effie M. Morrissey”, nenhuma vida se perdeu.
Na foto, publicada pela The National Geographic Magazine, o “Ernestina” (nesta altura “Effie M. Morrissey”) passa próximo de um iceberg ao largo de Upernavik, Gronelândia em 1935.
 
Esperemos com confiança que esta bela escuna passe a envergar a bandeira de Cabo Verde dentro de pouco tempo, pois é uma relíquia histórica como poucas.


publicado por cachinare às 09:02
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
subscrever feeds
últ. comentários
boa tarde.Só para informar que a fotografia é da a...
meu tataravô era Armeiro ai Na Noruega. Gostaria d...
Meu Caro António FangueiroJulgo que se equivocou a...
Com todos os dados meu amigo Albino ,claro que ouv...
Desta foto guardo bastas recordações ,pois foi nes...
Grato, amigo António Fangueiro! Bem-haja!Grande ab...
Até tu Peixe-Espada, desapareces-te ! . . .Talvez ...
Olá, GraçaMuito obrigada pela partilha da sua hist...
Olá, Ana Paula!Só agora vi este comentário. Sim, s...
Caro Albino Gomes, Muito obrigada pela partilha!

culturmar

tags

a nova fanequeira de vila chã

ala-arriba

alan villiers

apresentação

aquele portugal

argus

arte marítima

bacalhoeiros canadianos-americanos

bacalhoeiros estrangeiros

bacalhoeiros portugueses

barcos tradicionais

caxinas

cultura costeira

diversos

fotos soltas

galiza

jornal mare - matosinhos

memórias

modelismo naval

multimédia

museus do mar

pesca portuguesa

póvoa de varzim

relatos da lancha poveira "fé em deus"

santa maria manuela

veleiros

vila do conde

todas as tags

Vídeos
links
arquivos