Quarta-feira, 4 de Maio de 2016
A preto e branco.

pvz APastor 1953 0002_M

Junto à fortaleza de Nossa Senhora da Conceição, na Póvoa de Varzim, Artur Pastor imortalizava em 1953 a tradicional seca do peixe, com inúmeras raias e um cação, tão apreciados localmente. Ainda hoje este tipo de seca vai sobrevivendo entre Póvoa e Caxinas.



publicado por cachinare às 20:47
link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De jaime pião a 7 de Maio de 2016 às 14:53
Outros tempos em que na costa Portuguesa em especial ,as nossas mulheres amanhavam salgavam e secavam peixe, como o cação raia forretas e outros ,quem vinha da Povoa até as Caxinas eram varais com peixe a secar ,que no Inverno se comia com gosto ,mas se pagava bem ,mesmo assim não pagava o trabalho ,porque dava muita canseira tratar o peixe ,mas agora já quase não se vê peixe seco por aqui !São outros tempos que o tempo não apaga !


Comentar post

mais sobre mim
subscrever feeds
últ. comentários
Grato, amigo António Fangueiro! Bem-haja!Grande ab...
Até tu Peixe-Espada, desapareces-te ! . . .Talvez ...
Olá, GraçaMuito obrigada pela partilha da sua hist...
Olá, Ana Paula!Só agora vi este comentário. Sim, s...
Caro Albino Gomes, Muito obrigada pela partilha!
A partir de 1958, no arrastão Pádua, foi pela prim...
Em primeiro plano, vemos o Estaleiro Naval de mest...
Passei por aqui e, li como é meu costume os comen...
«Na antiga Lota do Peixe (e não roda), as pescadei...
Tal como se poderá observar pela matrícula e pela ...

culturmar

tags

a nova fanequeira de vila chã

ala-arriba

alan villiers

apresentação

aquele portugal

argus

arte marítima

bacalhoeiros canadianos-americanos

bacalhoeiros estrangeiros

bacalhoeiros portugueses

barcos tradicionais

caxinas

cultura costeira

diversos

fotos soltas

galiza

jornal mare - matosinhos

memórias

modelismo naval

multimédia

museus do mar

pesca portuguesa

póvoa de varzim

relatos da lancha poveira "fé em deus"

santa maria manuela

veleiros

vila do conde

todas as tags

Vídeos
links
arquivos