Domingo, 24 de Julho de 2022
Aquele Portugal.

 

A descarga da sardinha na Figueira da Foz dos anos 60-70 do século XX, onde se podem ver inúmeros baús feitos em chapa, onde cada pescador guardava os seus pertences e comida. O meu pai teve alguns iguais, quando andava ao mar.



publicado por cachinare às 19:11
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 15 de Dezembro de 2021
Aquele Portugal.

 

O Cais da Ribeira de Lisboa e a azáfama das mulheres na organização do peixe. Estas mulheres eram conhecidas por “varinas”, designação abreviada de “ovarina”, que os habitantes de Lisboa deram às mulheres oriundas de Ovar, vindas para a capital a partir da segunda metade do séc. XIX, e que vendiam peixe pelas ruas ou trabalhavam no Cais da Ribeira. O nome foi atribuído também às mulheres provenientes de uma área abrangente a Ovar, próxima daquela povoação litoral e de grande tradição piscatória, como Ílhavo, Aveiro ou a Murtosa.



publicado por cachinare às 15:29
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 6 de Abril de 2021
Aquele Portugal.

 

Foto kodachrome de W. Robert Moore publicada na revista National Geographic nos anos 30, com dois pescadores da Nazaré junto a um dos seus barcos, o do candil.



publicado por cachinare às 10:46
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 28 de Julho de 2020
Aquele Portugal.

 

Um imponente barco varino no rio Tejo em trabalhos de descarga de produtos. Embarcações de linda proa curvada e altiva, terminando porventura no mais belo capelo de todas as embarcações tradicionais de Portugal, capelo esse também visto noutras embarcações da mesma raíz geográfica da Ria de Aveiro, como o Barco do Mar, o Moliceiro ou de volta ao Tejo, o Culé ou Barco d' Água Acima.



publicado por cachinare às 08:41
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 26 de Fevereiro de 2020
Aquele Portugal.

 

Matosinhos de 1967, com as suas mulheres do mar e embarcações do tipo das bateiras, muito usadas até então no auxílio de descarga da sardinha desde as traineiras até ao areal.



publicado por cachinare às 15:06
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito (1)

Domingo, 17 de Novembro de 2019
Aquele Portugal.

 

Na Nazaré e no Portugal da altura, desde tenra idade que se “tratava de vida”, pois a vida não se construía a crédito e era preciso dominar o modo de sobrevivência local o mais cedo possível. Assim se constituíam famílias, se erguiam casas e se tornavam empreendedores.



publicado por cachinare às 18:06
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quarta-feira, 4 de Setembro de 2019
Aquele Portugal.

 

 

«A "seca do peixe" é realizada diariamente por um grupo de peixeiras da Nazaré, num "estindarte" (estendal) localizado na praia, ao Sul. Tradicionalmente, assegurava o sustento das famílias quando o peixe escasseava, mas também permitia conservá-lo para ser vendido nos mercados da região, o que ainda hoje acontece. Antigamente, as peixeiras recorriam a esta prática quando o pescado era em excesso mas, actualmente, realizam-na ao longo de todo o ano, comprando o peixe miúdo directamente na lota ou aos intermediários. Na Nazaré, distinguem-se duas formas de secagem, com preparação e consumo diferente: o peixe seco e o peixe enjoado. Depois de amanhado e salgado, o peixe é “estendido" em paneiros, tabuleiros rectangulares de rede e vigas de madeira, onde permanece cerca de dois a três dias ou apenas três a quatro horas (para o peixe enjoado). As espécies mais utilizadas são o carapau, os batuques ("verdinhos"), a petinga, o cação e ainda o polvo.»

 

via MATRIZNET



publicado por cachinare às 22:14
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 18 de Fevereiro de 2019
Aquele Portugal.

 

A Nazaré.



publicado por cachinare às 18:40
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito (1)

Quinta-feira, 15 de Novembro de 2018
Aquele Portugal.

 

A luz da Nazaré.



publicado por cachinare às 21:45
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 20 de Julho de 2018
Aquele Portugal.

 

 

Há quem se admire hoje em dia como antigamente as mulheres carregavam “tudo” à cabeça, fosse peixe, batatas ou uma garrafa de gás! Aqui os cestos vão vazios, mas por certo voltariam à cabeça quando cheios. Outros tempos, outra têmpera.

 



publicado por cachinare às 18:54
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Domingo, 31 de Dezembro de 2017
Aquele Portugal.

 

A bonita Armação de Pêra, Silves, Algarve.



publicado por cachinare às 17:57
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Quinta-feira, 12 de Outubro de 2017
Aquele Portugal.

 

Uma imagem muito antiga de Buarcos, onde se podem ver três das suas embarcações de pesca da altura, todas elas bem distintas. Da esquerda para a direita, um batel do alto belamente ornamentado, uma bateira em grande plano, e o que parece ser um barco do tipo poveiro ao fundo à direita.



publicado por cachinare às 20:25
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Domingo, 2 de Julho de 2017
Aquele Portugal.

 

Numa revista, um anúncio publicitário de 1962, captava a praia da Nazaré e alguns dos seus pescadores. O mote era uma das revoluções da altura na área dos têxteis, as fibras sintéticas. Neste caso tratava-se da Acrilan, da corporação norte-americana Monsanto e as camisolas de alguns pescadores começavam a ser feitas nesse material, pelo menos na Nazaré. É possível ver outros anúncios do mesmo estilo aqui.



publicado por cachinare às 19:51
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 3 de Março de 2017
Aquele Portugal.

 

Foto kodachrome de W. Robert Moore publicada na revista National Geographic nos anos 30, com a inconfundível Nazaré, os seus barcos de menor porte e o descanso dos guerreiros.



publicado por cachinare às 19:40
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 12 de Janeiro de 2017
Aquele Portugal.

 

 

Uma imagem bastante rara que nos permite ver barcos de pesca tradicionais da ilha da Madeira. Infelizmente conheço pouco ou nada sobre eles escrito ou publicado, o que é pena, pois são de uma tipologia bem diferente dos barcos do continente.

 



publicado por cachinare às 19:20
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Terça-feira, 25 de Outubro de 2016
Aquele Portugal.

 

Artesanato dos velhos pescadores da Nazaré. Numa altura em que ainda não era feito na China.



publicado por cachinare às 18:54
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

mais sobre mim
subscrever feeds
últ. comentários
Sou filha do Salvador Carvalho, o neto que herdou ...
o meu avô, José Moreira Rêga andou nesta traineira...
Boa tarde. Disse que era neto do Sr Salvador de Ca...
Esta bonança pertenceu à empresa Remelgado e Santo...
Como corroborando o acima dito no último paragrafo...
Pode me falar alguma coisa sobre meu parente, ANTO...
Em relação ao seu comentário, pergunto: O nome do ...
Boa tarde.O Hugo tem precisamente o mesmo problema...
Eu sou um modelista naval amador (ou pelo menos te...
Boa tarde, JoséDaqui Joana, filha da Zulima (sua p...
tags

a nova fanequeira de vila chã

ala-arriba

alan villiers

apresentação

aquele portugal

argus

arte marítima

bacalhoeiros canadianos-americanos

bacalhoeiros estrangeiros

bacalhoeiros portugueses

barcos tradicionais

caxinas

cultura costeira

diversos

fotos soltas

galiza

jornal mare - matosinhos

memórias

modelismo naval

multimédia

museus do mar

pesca portuguesa

póvoa de varzim

relatos da lancha poveira "fé em deus"

santa maria manuela

veleiros

vila do conde

todas as tags

links
arquivos